sábado, 13 de junho de 2015

Caminho de Santiago: dor compassada


Espanha acolheu-nos com um calor desnecessário. 
De Ponte de Lima a Valença quase todos os passos são belos. De Valença a Redondela há uma paisagem desgastante de tão pirosinha. 
O segundo dia foi, todavia, o dia de início da caminhada que interessa. 
Todos os pressentimentos de dor, bolhas ou pequenas lesões se concretizaram hoje. Em momentos, houve passos dolorosos em que nos recolhemos no silêncio. Noutros cantávamos o Hino, bossa nova ou um medley de canções pimba.

Encontrámos, caminho fora, estrangeiros que vinham de todo o lado. Nesses encontros, lá coxeámos todos em línguas diferentes.

A dor sempre faz parte e a cada passo lutamos para a superar.
O Caminho é dos que o caminham e descobrem que manter a passada é a mãe que nos leva até à meta.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Tesouradas